Jadson vê falta de respeito ao sair e diz que está motivado para provar que ainda está jogando em alto nível

Jadson teve dois feitiços no Corinthians. Se o primeiro marcou pela qualidade do futebol apresentado em 2015, o último ganhou vários títulos. Juntamente com Fábi Carille, a camiseta 10 foi escolhida por três paulistas (2017 a 2019) e Brasileirão 2017. Mas se isso dependesse de seu pai Ismail, a história seria diferente.

O Corinthians encerrou 2016 sem treinador e sem vaga na Libertadores. A situação de insegurança motivou o conselho em casa a pensar cuidadosamente sobre a idéia de retorno. “Meu pai achou que a equipe talvez não fosse muito boa, então seria melhor fechar com outra equipe. Eu disse a ele: ‘Pai, aqui está o acordo, eu quero voltar para lá, acho que vai dar certo’.” Vamos ver. “”

E Jadson estava certo. Fábio Carille foi contratado como técnico e o Corinthians foi demitido. A “quarta força” de Paulistão acabou sendo a campeã estadual. Um mês depois, ele ainda levantaria o troféu Brasileirão depois de passar o primeiro round invicto.

Essa coisa da quarta força aborreceu um pouco a todos. Levantamos e terminamos o campeão. “

A volta de Jadson foi um pedido do próprio Carille. De volta à China, o meia disse que recebeu o convite do treinador, que o conhecia desde quando era assistente de Manu Menezes e depois de Tito.

“Carille é um cara especial na minha vida. Ele me ligou e disse: ‘Jadson, eu quero você aqui. Eu preciso que você volte. Você vai entrar, ele se encaixa no meu jogo.’ Ele é um cara legal, ouvi muitos jogadores, havia espaço deixe todo mundo falar “.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply

Turno Zero